quarta-feira, 14 de setembro de 2011

FISIOLOGIA DO SISTEMA NERVOSO

O sistema nervoso é o mais complexo e diferenciado do organismo, sendo o primeiro a se diferenciar embriologicamente e o ultimo a completar seu desenvolvimento, com simplicidade de células.
Funções: Integradora, sensorial, motora, adaptativa. É responsável pela adaptação do organismo às condições do ambiente, ou promover as reações adequadas para cada ocasião.
Unidade Básica: célula nervosa.
SNC: Encéfalo e medula.
SNP: Terminais sensoriais, nervos, gânglios, sistema nervoso autônomo. 
Estrutura e organização
Neurônios: Células mais abundantes, fazem o processo de transmissão da informação. Possuem dentritos, corpo celular, núcleos, cone de implantação e axônio mielinizado ou não-mielinizado.
Corpo celular sintetiza proteínas que ficam próximas aos axônios ou que participem das sinapses que ocorrem nos botões terminais.
Classificação de acordo com a função
Receptores, sensitivos ou aferentes: Transmitem informações dos órgãos sensoriais até o sistema nervoso central.
Motores ou eferentes: Transmitem os comandos motores para os músculos, vísceras, órgãos, etc.
Interneurônios ou associativos: Estabelecem contato entre os neurônios aferentes e eferentes.
Classificação de acordo com a estruturaMultipolares: Um axônio, vários dentritos. Geralmente sensorial.
Bipolares: Um axônio, um dentrito. Geralmente intermediário.
Pseudounipolares: Axônio e dentrito se fusionam perto do corpo neuronal. Um ramo que se divide em dois.
Unipolares: Um axônio, nenhum dentrito.
Piramidais: Múltiplos prolongamentos.
NeurôniosÉ a unidade estrutural e funcional do tecido nervoso
Operam a partir de impulsos elétricos ou químicos, especializados em ecxitabilidade e condução dos impulsos.
Células da Glia
Não participam da condução do impulso nervoso, apenas atuam dando suporte aos neurônios.
Elas diferem em forma e função, desempenhando diferentes funções no funcionamento do tecido nervoso.
MACROGLIA
Oligodendrócitos: Possuem prolongamentos que se enrolam em volta dos axônios produzindo bainha de mielina (a partir de lipídeos e proteínas), que é um isolante elétrico para os neurônios do SNC.
Astrócitos: Células de formato estrelado. Responsáveis pela nutrição e sustentação do neurônio, bem como o preenchimento de espaço entre eles. Ligam-se aos vasos cerebrais.
Existem dois tipos:
Protoplasmáticos: Predominam na substância cinzenta cérebro.
Fibrosos: Predominam na substância branca do cérebro.
Glioblastos:
MICROGLIA
Consiste em Macrófagos especializados capazes de Fagocitar,, que protegem os neurônios.
Células de Schawnn: Produzem Bainha de mielina que envolve os axônios dos neurônios no sistema periférico. Desempenham as mesma funções que os Oligodendrócitos no SNC.
Transmissão de sinais entre neurônios
A transmissão ocorre ao longo da membrana do neurônio, a partir do pondo de aplicação, se propaga até as sinapses mais próximas distribuindo-se por toda a rede de neurônios.
Orgãos sensoriais > Neurônios receptores, sensitivos ou aferentes > Sinapses >  Interneurônios ou associativos > Sinapses > Neurônios motores ou eferentes.
Sinapse: Sinapses são pontos de encontro entre neurônios, ou mesmo entre neurônios e células musculares ou gandulares epiteliais.
Sinapse Nervosa: É os espaço entre as extremidades de dois neurônios por onde passa o estímulo de um neurônio para o seguinte , por meio de mediadores físico-químicos, ou neurotransmissores.
Sinapses podem ser químicas ou elétricas. Nas sinapses elétricas ocorre o contato entre as células por junções do tipo GAP e o estímulo é transferido com maior velocidade. Em sinapses químicas temos fendas sinápticas de 20 a 40 nm.
Podem ser classificadas de acordo com a região dos neurônios que se encontram:
Axodentrítica - Axônio e Dentrócito.
Axosomática - Axônio e Corpo celular.
Axoaxônica - Axônio e Axônio.
Transmissão sináptica
O ponto de ativação inicia seus processos e libera o transmissor através da exocitose. O neurotransmissor difunde o estímulo para a célula alvo, o estímulo atua em neurônios receptores. A ação do NT é encerrada por inativação ezimática.
Sinápse química excitatória ou inibitória
Sinápses excitatórias são aquelas onde a membrana pós-sináptica é despolarizada (Sinápses entre neurônios motores e músculos esqueléticos).
Sinapses inibitórias causam hiperpolarização da membrana pós-sináptica. As células pós-sinápticas das sinapses inibitórias apresentam canais de cloro ligante dependentes. Quando esses canais são ativados por um NT eles podem hiperpolarizar a membrana pós-sináptica, dificultando o potencial de Ação.
Neuromoduladores: São substâncias que produzem efeitos mais prolongados sobre a excitabilidade da membrana neuronal, tendo capacidade de modificar as verdadeiras funções dos neurotransmissores.
Neuromoduladores peptídeos são produzidos no retículo endoplasmático rugoso do corpo celular das células nervosas, enquanto os neurotransmissores são sintetizados no citoplasma do corpo celular ou até mesmo no neurônio terminal. Dentre os principais, encontram-se:
Monoaminas ou Aminas biogênicas - como a noradrenalina, a dopamina e a serotonina  (capazes de despolarizar e repolarizar a membrana pós-sináptica).
Neuropeptídeos - encontrados habitualmente em concentrações relativamente baixas, dentro os quais pode ser citados os peptídeos hipofisários (corticotropina, vasopressina).
Hormônios circulantes (angiotensina, insulina, entre outros).
Hormônios intestinais (colicistina, substância P, entre outros).
Opióides (encefalinas, endorfinas, entre outros).
hormônios do hipotálamo.
Neurotransmissores:
São substâncias químicas liberadas pelos neurônios e utilizadas para a transmissão de informações entre eles. São sintetizados no citoplasma do corpo celular, armazenados no neurônio, em seu terminal pré-sináptico. Os NT não podem ficar ligados aos receptores permanentemente, podem ser inativados então por difusão lateral, degradação enzimática ou recaptação pela membrana pré-sináptica via proteínas específicas de transporte (com consumo de ATP) e assistida pelos astrócitos - A Acetilcolina é o único NT que não sofre recaptação. O único NT
Classificam-se basicamente em duas classes:
Aminas: Moléculas orgânicas, apresentando no mínimo um nitrogênio, armazenadas e secretadas nas vesículas sinápticas. Sua produção se da no terminal do axônio, a partir de precursores metabólicos presentes no local. Após a sua síntese, são secretados por exocitose e a membrana é recuperada por endocitose, a vesícula é reciclada e reabastecida com neurotransmissores. ex: Glutamato e GABA.
Neuropeptídeos: São compostos por grandes moléculas guardadas e liberadas em grânulos secretores. Sua produção se da no retículo endoplasmático rugoso do corpo celular do neurônio. Depois clivado no complexo de golgi, passando a ser um neurotransmissor ativo, que será secretado por grânulos secretores e encaminhado ao terminal neuronal para ser liberado na fenda sináptica. ex: Endorfinas e hormônios.
Acetilcolina: Principal junção neuromuscular, mais encontrada no SNP. Esta estimula os receptores muscarínicos, que desencadeiam uma cascata intracelular que é responsável pelas respostas ditas "muscarínicas".

Nenhum comentário:

Postar um comentário